Search
(Português do Brasil) Pesquisa revela crescimento de até 50% em receita de micro e médio e-commerce – iSee Retail Agency
11383
single,single-post,postid-11383,single-format-standard,eltd-core-1.0,woly-ver-1.0,eltd-smooth-scroll,eltd-smooth-page-transitions,eltd-mimic-ajax,eltd-grid-1200,eltd-blog-installed,eltd-main-style1,eltd-disable-fullscreen-menu-opener,eltd-header-standard,eltd-sticky-header-on-scroll-up,eltd-default-mobile-header,eltd-sticky-up-mobile-header,eltd-menu-item-first-level-bg-color,eltd-dropdown-default,eltd-,eltd-header-standard-disable-transparency,eltd-fullscreen-search eltd-search-fade,wpb-js-composer js-comp-ver-4.12,vc_responsive

Blog

iSee Retail Agency / Content  / (Português do Brasil) Pesquisa revela crescimento de até 50% em receita de micro e médio e-commerce
Crédito Imagem: convergecom.com.br

(Português do Brasil) Pesquisa revela crescimento de até 50% em receita de micro e médio e-commerce

Sorry, this entry is only available in Brazilian Portuguese. For the sake of viewer convenience, the content is shown below in the alternative language. You may click the link to switch the active language.

A terceira edição do estudo Mercado Livre /IBOPE Conecta, realizado com 512 empreendedores MPMEs (Micros, Pequenas e Médias empresas) em todo o Brasil, aponta que 77% dos entrevistados declaram crescimento médio de 41%. Vinte por cento não registraram crescimento e 3% não souberam responder.

O otimismo aumenta na comparação com os anos anteriores: 94% dos entrevistados esperam crescer neste ano – a uma média de 35%. Este é o maior percentual de entrevistados otimistas registrado na pesquisa (em 2016, 84% dos entrevistados apostavam crescer suas vendas; e em 2015, 87%). As principais razões para o crescimento das vendas são, para eles, a diversificação dos produtos à venda (77%), a oferta de frete grátis (38%); participações em promoções (36%); e a oferta de formas de pagamento mais atraentes.

Existe também um otimismo em relação ao crescimento do setor de e-commerce como um todo: 79% dos entrevistados acreditam que o setor crescerá em média 25%. Entre os fatores mais apontados por eles estão a percepção de maior segurança na compra online (76%); aumento no número de pessoas com acesso à internet (69%); crescimento no número de usuários de smartphones e tablets (64%); maior investimento em marketing (57%); e a busca por mais ofertas online no cenário atual da economia (56%).

Entre os empreendedores que não consideram a possibilidade de crescer em 2017, os fatores apontados são relacionados à economia brasileira (“instabilidade econômica”; instabilidade política”; retração do consumo”; “diminuição do poder de compras”).

Ao contrário do ano anterior, os empreendedores se mostram mais dispostos a aumentar suas equipes em 2017. No ano passado, 37% planejavam realizar contratações – percentual que passa para 48% nas expectativas para este ano. A parcela de entrevistados que não pretendia contratar em 2016 (27%) passa, em 2017, para 20%.

As que não sabem responder passam de 37% para 32%. Apesar disso, as equipes se manterão pequenas: 59% possuem até três funcionários; 9%, de quatro a cinco; 8%, mais de seis; e 25% são empresários que trabalham sozinhos. Nos últimos três anos, houve uma redução na quantidade de empresários que têm de quatro a cinco funcionários (de 16% em 2015 para 9% em 2017).

Os empreendedores pesquisados são do perfil MPMEs (Micros, Pequenas e Médias Empresas). O faturamento anual dos entrevistados tem as seguintes variações: 33% faturam abaixo de R$100 mil; 32% faturam de R$ 100 mil a R$ 250 mil; 14% de R$ 250 mil a R$ 500 mil; 10% faturam de R$ 501 mil a R$ 1 milhão; 6% de R$ 1 milhão a 2 milhões; e 4% faturam acima de 2 milhões por ano.

Sobre a atuação no Mercado Livre, 52% dos entrevistados têm empresa formada (pessoas jurídicas); 29% atuam como MEI – Micro Empreendedor Individual e 19% como pessoa física – número menor que o registrado nas duas pesquisas anteriores: 22% em 2016 e 40% em 2015. Entre os vendedores multicanais, 49% apontam o Mercado Livre como o responsável pela maior parcela das suas vendas online.

A média de idade dos respondentes é de 38 anos. A faixa etária predominante é de 26 a 35 anos, representando 35% da amostra; 34% têm de 36 a 45 anos; 20% têm 46 anos ou mais e outros 11% têm até 25 anos. As principais regiões dos respondentes são: Sudeste (74%) e Sul (21%), seguidas por Centro-Oeste e Nordeste, com 2% cada; e Norte, com 1%.

Fonte: T.I. Inside Online

No Comments

Leave a Reply